PROGNOSE POR CLASSE DIAMÉTRICA PARA UM POVOAMENTO DE TECA A PARTIR DE UM MODELO DO TIPO POVOAMENTO TOTAL

Júlia Melo Franco Neves Costa, Renato Vinícius Oliveira Castro, Thelma Shirlen Soares, Edmilson Santos Cruz

Resumo


Estimativas precisas da produção corrente e futura de povoamentos florestais são fundamentais para o manejo florestal. Neste estudo foi aplicada uma metodologia para estimar o crescimento e a produção por segmentos pré-estabelecidos da distribuição de diâmetro (percentis). Estes segmentos compreenderam os percentis 35º, 50º, 75º e 93º. Foram empregados dados de parcelas permanentes de teca de um povoamento situado em Alta Floresta – MT. Para prognosticar a produção em função do diâmetro, correlacionou-se cada percentil com características do povoamento. Os modelos ajustados foram avaliados com base no coeficiente de determinação, no erro padrão residual, na análise gráfica dos resíduos e no teste L&O. Todos os modelos ajustados proporcionaram estimativas em conformidade com os critérios estabelecidos para aceitação dos resultados. Os modelos de percentis, associados a uma tabela de produção do tipo densidade variável, permitiram, de maneira simples e precisa, estudar a produção até diferentes diâmetros percentis

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; SPAROVEK, G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Metorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6. p. 711-728. 2014.

CAMPOS, L. J. D. Prognose por classe de diâmetro a partir de modelos do tipo povoamento total. 1997. 57f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1997.

COSTA, J. M. F. N.; CASTRO, R. V.; SOARES, T. S. Crescimento, produção e simulação de desbastes para teca (Tectona grandis L.f.). Revista Agrotecnologia, v. 7, n. 2, p. 67-75, 2016.

DRAPER, N. R.; SMITH, H. Applied regression analysis. 3 ed. New York: John Wiley e Sons, 1998.

DRESCHER, R. Crescimento e produção de Tectona grandis Linn f., em povoamentos jovens de duas regiões do estado de Mato Grosso – Brasil. 2004. 116f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2004.

ERCANLI, İ.; KELEŞ, S.; SİVRİKAYA, F.; ÇAKIR, G.; GÜNLÜ, A.; KARAHALİL, U.; KADIOĞULLARI, A.; BAŞKENT, E.; KÖSE, S. The construction of variable density yield table for scots pine (Pinus sylvestris L.) stands in Yalnizçam and Uğurlu State Forest Enterprises. Turkish Journal of Forestry, v. 8, n. 2, p. 78-101, 2009.

KAHRIMAN, A.; YAVUZ, H. The construction of variable density yield table for scots pine and oriental beech mixed stands in Black Sea Region. Kastamonu University Journal of Forestry Faculty, v. 12, n. 1, p. 36-54, 2012.

LEITE, H. G.; OLIVEIRA, F. H. T. Statistical procedure to test the identity of analytical methods. Communications in Soil Science Plant Analysis, v. 33, n. 7/8, p.1105-1118, 2002.

PELISSARI, A. L.; GUIMARÃES, P. P.; BEHLING, A.; EBLING, A. A. Cultivo da teca: características da espécie para implantação e condução de povoamentos florestais. Agrarian Academy, v. 1, n. 1, p. 127-145, 2014.

SCOLFORO, J. R. S. Modelagem do crescimento e da produção de florestas plantadas e nativas. Lavras: UFLA/FAEPE, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Júlia Melo Franco Neves Costa, Renato Vinícius Oliveira Castro, Thelma Shirlen Soares, Edmilson Santos Cruz

TECNIA – REVISTA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO IFG

EDITORA IFG
Rua C-198, Quadra 500, Jardim América | CEP 74.270-240 | Goiânia/GO

tecnia@ifg.edu.br
(62) 3237-1816