ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA DO APROVEITAMENTO ENERGÉTICO DO BIOGÁS E DO BIOMETANO PROVENIENTES DE DEJETOS DE SUÍNOS: ESTUDO DE CASO

Fabrício Paiva Vieira, Elder Geraldo Domingues, Simone Souza Ramalho, Luane Schiochet Pinto, Daywes Pinheiro Neto

Resumo


Este artigo apresenta a análise da viabilidade econômica da geração de energia elétrica e da produção de biometano a partir do biogás oriundo de dejetos de suínos, em quatro cenários. Cenário 1 (C1), o biogás é utilizado para gerar energia elétrica através de um grupo motor-gerador (GMG). Cenário 2 (C2), purifica-se o biogás e utiliza-se o biometano produzido para gerar eletricidade em um GMG. Cenário 3 (C3), o biometano é injetado na rede de distribuição de gás natural e vendido à concessionária. Cenário 4 (C4), o biometano é utilizado como combustível veicular na frota da granja. Utilizando-se três critérios de decisão (VPL, TIR e Payback descontado) para se analisar a viabilidade econômica dos cenários, concluiu-se que os mais rentáveis são: o C4, C1, C2 e C3, respectivamente.

Texto completo:

PDF

Referências


Abiogás (Associação Brasileira de Biogás e Biometano). Menu Biogás e Biometano. Disponível em: < https://www.abiogas.org.br/biogas-e-biometano>. Acesso em 28 de outubro de 2016.

AGS (Associação Goiana de Suinocultores). Disponível em: < http://ags.com.br/>. Acesso em 14 de dezembro de 2017.

BALMANT, W. Concepção, Construção e Operação de um Biodigestor e Modelagem Matemática da Biodigestão Anaeróbica. UFPR. Curitiba – PR, 2009.

BLEY JÚNIOR., C. Biogás: A energia invisível. 2 ed. revista e ampliada. Centro Internacional de Energias Renováveis – Biogás (CIBiogás-ER), 2015.

BORSCHIVER, S.; SILVA, A. L. R. DA. Mapeamento Tecnológico para Purificação de Biogás e seu Aproveitamento: Panorama Mundial e Iniciativas Nacionais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA QUÍMICA – COBEQ, 20. 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo. Anais: Blucher, 2015. p. 8757-8765.

CIBiogás (Centro Internacional de Energias Renováveis–Biogás). Menu O BIOGÁS. Submenu O Que É O Biogás? Disponível em: . Acesso em 28 de outubro de 2016.

CIVARDI, J. F. D. O Uso de Biodigestores na Suinocultura Como Alternativa de Sustentabilidade Econômica: Uma Análise Para a Região da Grande Dourados/MS. Dourados - MS, 2014.

FELIPETTO, A. V. M. Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) Aplicado a Resíduos Sólidos, Caderno 2: Conceito, Planejamento e Oportunidades. MMA, MC e IBAM, 2007.

GARCES JÚNIOR, W. B. Estudo de caso: Análise de viabilidade econômica do uso do biogás como energia renovável em granjas de suínos.2010. 100f. TCC (Tecnologia em Química Agroindustrial) – Câmpus Goiânia, Instituto Federal de Goiás, Goiânia, 2010.

IPCC. IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories. National Greenhouse Gas Inventories Programme. Kanagawa, Japan: United Nation Environmental Programme, 2006.

LIRA, J. C. Umbelino. Análise econômica e balanço energético do biogás em granjas de suínos. Universidade Federal de Goiás (UFG), Escola de Engenharia Elétrica, Goiânia - GO, 2009.

MARTINS, F. M.; OLIVEIRA, P. A. V. DE. Análise econômica da geração de energia elétrica a partir do biogás na suinocultura. Jaboticabal - SP, 2011.

PROBIOGÁS. BIOGÁS. Biometano como Combustível Veicular. 1ª Edição, Ministério das Cidades e GIZ, Brasília - DF, 2016.

SANTANA, L. E.; CINTRA, L. M. F.; PEDROSA, F.; PERES, S. A Biodigestão Como Solução Para a Destinação dos Resíduos do Setor Pecuarista. Revista da Ciência da Administração. Recife-PE. v. 6, p. 1-26, 2012.

SGC – Swedish Gas Technology Center Ltd. Basic data on biogas. Malmö, Sweden, 2012.

SILVA, C.A.B.V. e,; Limpeza e Purificação de Biogás. Universidade de Trás-Os-Montes e Alto Douro. Escola de Ciência e Tecnologia. Departamento de Engenharias. Portugal, Julho, 2009.

UNFCCC (United Nations Framework Convention on Climate Change).

______. Methodology ACM0010: Large-scale Consolidated Methodology for GHG emission reductions from manure management systems – Version 08.0. 2013 onwards. Reduções de Emissões de Gases de Efeito Estufa Provenientes de Sistemas de Manejo de Estrume. Disponível em: < https://cdm.unfccc.int/methodologies/DB/99QRTE6N5QJEBOV2XP374B25SSIXBB>. Acesso em 06 de maio de 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Fabrício Paiva Vieira, Elder Geraldo Domingues, Simone Souza Ramalho, Luane Schiochet Pinto, Daywes Pinheiro Neto

TECNIA – REVISTA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO IFG

EDITORA IFG
Rua C-198, Quadra 500, Jardim América | CEP 74.270-240 | Goiânia/GO

tecnia@ifg.edu.br
(62) 3237-1816