Reflexões sobre formação de professores para o enfrentamento da violência intrafamiliar contra crianças

Alciane Barbosa Macedo Pereira, Maria Inês Gandolfo Conceição, Lívia Freitas Fonseca Borges

Resumo


O objetivo deste trabalho é desenvolver uma reflexão sobre a formação docente para o enfrentamento da violência intrafamiliar contra crianças. Vale frisar que os docentes são pessoas importantes no enfrentamento da violência intrafamiliar, no desvelamento, na mudança e na desnaturalização dos conceitos de infância, violência e família. Constata-se em pesquisas sobre o tema que a participação dos professores deve ser norteada pela reflexão profunda sobre seu papel na identificação das contradições presentes nos fenômenos sociais. Alerta-se, no entanto, para o risco de localizar exclusivamente na escola e na família as determinações da violência e não levar em conta as relações macrossociais envolvidas. Considera-se, assim, que o enfrentamento da violência intrafamiliar contra crianças pode ser inserido na formação de professores, tanto na inicial como na continuada, de forma a constituir uma questão relevante na discussão da identidade e da função docente.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, M. F. Violência e abuso sexual na família. Psicologia em Estudo, 7(2), 3-11, 2002.

AZEVEDO, M. A.; GUERRA, V. N. de A. Vitimação e Vitimização: questões conceituais. In: M. A. AZEVEDO; V. N. de A. GUERRA (Eds.), Crianças vitimizadas: a síndrome do pequeno poder (pp. 25-47). São Paulo: Iglu, 2007.

BORGES, Lívia Freitas Fonseca. Um currículo para a formação de professores. In: VEIGA, I. P. A.; SILVA, E. F. (Orgs.). A escola mudou. Que mude a formação de professores! Campinas, São Paulo: Papirus, 2010.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente: Lei Federal 8.069/1990. Porto Alegre: Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente. 104p., 2003.

BRZEZINSKI, I. Profissão Professor: identidade e profissionalização docente. Brasília: Plano Editora, 2002.

CODO, W. Burnout: “síndrome da desistência”. In: W. CODO (Ed.). Educação: carinho e trabalho (4 ed.) (pp. 237-254). Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

CONCEIÇÃO, M. I. G.; COSTA, L. F.; PENSO, M. A.; LOPES, N. R. L.; WILLIAMS, L. C. A. Abuso sexual infantil masculino: Sintomas, notificação e denúncia no restabelecimento da proteção. Estudos de Psicologia. Submetido.

FACCI, M.G. D. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor? Um estudo crítico-comparativo da teoria do professor reflexivo, do construtivismo e da psicologia vigotskiana. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

FALEIROS, V. de P. Parar o Abuso e Desenvolver a Proteção. In: L. F. COSTA; H. G. D. de LIMA (Eds.), Abuso Sexual: A justiça interrompe a violência (pp. 159-170). Brasília: Liber Livro, 2008.

FALEIROS, V. de P.; FALEIROS, E. S. A Escola que protege: enfrentando a violência contra crianças e adolescentes. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2007.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2008.

GUERRA, V. N. de. A. Violência de pais contra filhos: procuram-se vítimas. São Paulo: Cortez, 1985.

HYPOLITO, A. L. M. Trabalho docente, classe social e relações de gênero. Campinas, SP: Papirus, 1997.

LÜDKE, M.; BOING, L. A. O trabalho docente nas páginas de Educação & Sociedade em seus (quase) 100 números. Educação & Sociedade, 28, (100), 1179-1201, 2007.

MALDONADO, D. P. A.; WILLIAMS, L. C. de A. O comportamento agressivo de crianças do sexo masculino na escola e sua relação com a violência doméstica. Psicologia em Estudo, 10(3), 353-362, 2005.

MINAYO, M. C. de S. O Significado Social e para a Saúde da Violência contra Crianças e Adolescentes. In: M. F. WESTPHAL (Ed.), Violência e Criança (pp 95-124) São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2002.

MIRANDA, A. C. de. De casa à escola: caminho fecundo para o enfrentamento da violência doméstica contra a criança. Dissertação de mestrado não publicada. Universidade de Brasília, Brasília, 2003.

MORAES, M. C. M., de; TORRIGLIA, P. L. Sentidos de ser docente e da construção de seu conhecimento. In: M. C. M. MORAES (Ed.), Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente (pp. 45-60). Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

NÓVOA, A. O passado e o presente dos professores. In: A. NÓVOA. (Ed.), Profissão Professor (pp. 13-34). Porto: Porto Editora, 1995.

OLIVEIRA, C. B. E.; MARINHO-ARAÚJO, C. M. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estudos de Psicologia, 27(1), 99-108, 2010.

PENSO, M. A., RAMOS, M. E. C.; GUSMÃO, M. M. A violência na família: reflexo da exclusão social. In: M. A. RIBEIRO; L. F. COSTA (Eds.), Família e problemas na contemporaneidade: reflexões e intervenções do Grupo Socius (pp. 71-86). Brasília: Universa, 2004.

RISTUM, M. A violência doméstica contra crianças e as implicações da escola. Temas em Psicologia, 18(1), 231-242, 2010.

ROLDÃO, M. do C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, 12(34), 94-103, 2007.

SACRITAN, J. G. Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: A. NÓVOA (Ed.), Profissão Professor (pp. 63-91). Porto: Porto Editora, 1995.

SANTOS, E. O. dos. A formação continuada na rede municipal de ensino de Recife: concepções e práticas de uma política em construção. Tese de doutorado não publicada. Universidade Federal de Pernambuco: Recife, 2010.

SHIROMA, E. O. O eufemismo da profissionalização. In: M. C. M. MORAES (Ed.), Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente (pp. 61-79). Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

SILVA, K. A. C. P. C. da. A formação de professores na perspectiva crítico-emancipadora. Linhas Críticas, 17(32), 13-31, 2011.

SILVA. M. A. A. da. (2008). A violência física intrafamiliar como método educativo punitivo-disciplinar e os saberes docentes. Dissertação não publicada, Universidade Federal de Goiás, Goiás, 2008.

SUDBRAK, M. F. O.; CONCEIÇÃO, M. I. G. Jovens e violência: vítimas e/ou algozes? In: L. F. COSTA; T. M. C. de ALMEIDA (Eds.), Violência no cotidiano: do risco à proteção (pp. 185-198). Brasília: Universa: Liber Livro, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Alciane Barbosa Macedo Pereira, Maria Inês Gandolfo Concieção, Lívia Freitas Fonseca Borges

TECNIA – REVISTA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO IFG

EDITORA IFG
Rua C-198, Quadra 500, Jardim América | CEP 74.270-240 | Goiânia/GO

tecnia@ifg.edu.br
(62) 3237-1816