O ALVORECER DAS TEORIAS CRÍTICAS DO CURRÍCULO SOBRE O CENÁRIO EDUCACIONAL BRASILEIRO: O REGIME MILITAR E O PRELÚDIO DA NOVA REPÚBLICA EM NARRATIVA

Júlio César Apolinário Maia, Eulália Gonçalves Souza Oliveira, Michele Silva Sacardo

Resumo


O presente resumo, cuja tipologia por delineamento assume caráter bibliográfico, tem por objetivo demarcar a emergência das Teorias Críticas do Currículo em solo brasileiro. Para tanto, adota enquanto ponto de partida a criação dos programas de pós-graduação durante o Regime Militar, ocasião em que, contraditoriamente, o caráter tecnicista aliado ao campo educacional, e especificamente ao currículo, abrandado pelas próprias cobiças da Ditadura, sofre constantes retaliações. Aprofunda-se, durante a segunda seção, ao direcionamento dado às críticas sobre o papel do currículo, em função da necessidade de sua articulação às relações políticas, econômicas e socioculturais, durante os primórdios da Nova República. O assentamento destas críticas mostra-se evidente ante o falso caráter democrático atribuído à conjuntura educacional àquele instante. A terceira seção aponta o florescimento das teorizações críticas acerca do currículo ainda sobre a conjuntura da Nova República. Tal florescimento é demarcado pela positiva repercussão do número de teóricos críticos no cenário educacional brasileiro àquele momento. O esforço de síntese busca evidenciar como o currículo, no ínterim da década de 1980, mote do presente trabalho, toma forma de massa de manobra tanto à consolidação de almejos de grupos conservadores, quanto de grupos progressistas, refletindo, pois, o embate travado entre ambos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.