O CUIDADOR DO PACIENTE COM TRANSTORNO MENTAL NO SUDOESTE DE GOIÁS

Ana Lúcia Rezende Souza, Renata Machado de Assis, Daisy de Araújo Vilela

Resumo


Alguns dos desafios da Reforma psiquiátrica é a reinserção social do paciente, o seu convívio na sociedade e a participação da família no tratamento do transtorno mental. O cuidador familiar é quem responde pela assistência domiciliar do paciente com o transtorno mental e conhecer o seu perfil, possibilita compreender um pouco, como ele lida com o cuidado. O objetivo do trabalho foi descrever o perfil do cuidador de paciente com transtorno mental atendido em CAPS das cidades de Jataí, Mineiros e Rio Verde. Trata-se de estudo descritivo transversal realizado com 281 cuidadores familiares, no período de junho de 2014 e julho de 2015. O resultado apontou que maioria era do sexo feminino, com mais de 60 anos, com baixa escolaridade, baixa renda e presença de morbidades. A maioria dos cuidadores tinha em média 12 anos que já era responsável pelo familiar doente, não recebia ajuda para cuidar e ainda tinha outro parente que necessitava de cuidados. Prestar assistência a um familiar com problemas mentais não é tarefa fácil, demanda tempo e pode comprometer a saúde física e mental do cuidador, comprometendo a sua qualidade de vida. 

Palavras-chave


Cuidador familiar. Transtorno mental. Qualidade de vida.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.