LITERATURA COMO FONTE DE HUMANIZAÇÃO, PRAZER E CONHECIMENTO

Lídia Silva Rodrigues

Resumo


O presente trabalho apresenta algumas contribuições de autores como Antônio Cândido, Tzvetan Todorov, Regina Zilberman e Irandé Antunes sobre a literatura e sua função de humanização, prazer e conhecimento. Utilizou-se a pesquisa bibliográfica, com objetivo de contribuir para melhor interpretação das ideias dos autores e propor um debate sobre como a literatura interfere na formação dos indivíduos. Foi realizada análise de conceitos filosóficos sobre humanização estabelecendo relação profícua com a literatura, pois ambas desenvolvem no sujeito comportamentos construídos cotidianamente para o bem pessoal, como para o do próximo. Evidencia a importância da escola enquanto ambiente formador e a mediação feita pelo professor, destacando não só as possibilidades que a literatura promove na sociedade, como os perigos que ela e, consequentemente, a humanização sofrem nos dias atuais. É relevante a discussão proposta neste trabalho com vistas à reflexão acerca do poder que a literatura oferece a sujeitos de direito que devem ter acesso a bens incontáveis, sendo capazes de transformar a si próprios e o ambiente que os rodeia. O presente trabalho não encerra a discussão, sugerindo que o tema deve ser ainda pesquisado melhorando as alternativas para que a escola cumpra seu objetivo maior que é a humanização dos indivíduos. 

Palavras-chave


Literatura, Humanização, Prazer

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.