LIMITES E POSSIBILIDADES DO TRABALHO COM ALUNOS AUTISTAS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Jessica Rezende Souza, Renata Machado de Assis

Resumo


Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa sobre a relação do professor de Educação Física (EF) com os alunos autistas nas escolas públicas de Jataí – Goiás. O objetivo geral da pesquisa foi verificar como os professores de EF lidam com alunos autistas durante as aulas, nas escolas públicas de Jataí, com a intenção de verificar facilidades e dificuldades encontradas. A pesquisa foi realizada nas escolas municipais e estaduais deste município em que foram encontrados alunos autistas matriculados nas turmas regulares. Os sujeitos participantes da pesquisa foram os professores de EF desses alunos e os coordenadores das escolas selecionadas. Foram encontradas cinco escolas que preencheram os critérios pré-estabelecidos. Como principais resultados, encontramos mais limites do que possibilidades no trato do professor de EF com os alunos autistas. O sistema educacional brasileiro está desestruturado para uma prática eficiente das políticas de inclusão. Percebe-se pouco conhecimento dos professores e coordenadores a respeito do autismo. A rede municipal de ensino não oferta cursos de formação continuada, a não ser para professores de apoio ou docentes que trabalham especificamente com ensino especial. Há culpabilização ou responsabilização indevida do indivíduo, ou seja, como se a culpa do indivíduo ser autista fosse dele mesmo.


Palavras-chave


Educação Física, inclusão, autismo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.