Ser e o sabor das nanicas paixões

Marcelo Calderari Miguel

Resumo


A poesia, ou texto lírico, é uma das sete artes tradicionais, pela qual a linguagem humana é empregada com fins críticos ou estéticos. Visando suprir algum hiato, os poemas intitulados “Ser e o Sabor das nanicas paixões” tornam visíveis alguns pontos: 1) a desumanidade deste século; 2) o problema de gênero e inclusão; 3) a sociedades de violência e medo; 4) a sociedades estrategicamente projetadas para o planejamento, arte como consumo; 5) a liquidez das sensações da vida. Três poemas fomentam formas de se pensar a ‘condição humana’ e o tecido icástico (do grego eikón - imagem) que envolve o entrelaçar da razão e recordações – substratos sociais como aponta o filósofo francês Jean-Luc Nancy. O sujeito lírico, sem a necessidade de racionalização ou cientificidade, aborda questões fundamentais que devem engajar os cidadãos a refletir e considerar esses significados que perderam valor ou efetividade em uma sociedade que parece estar em colapso. Os poemas pautam uma posição crítica à situação política e aos meios de comunicação como forma de disseminação e propagação na coletividade dos valores morais como herança e legado passado de geração a geração. O núcleo poético é atual e contêm forte teor político, a linguagem frisa um público letrado – o que talvez sirva como crítica ao elitismo político. Em suma – reporta o belo parecer desse periódico – os poemas são dedicados a fazer pensar as características da sociedade capitalista moderna, uma sociedade violenta em que medos e tormentos, a banalização e a liquidez se normalizaram a tal ponto que não sabemos salvar nossa liberdade, ou mesmo, nos ater à ideia do que isso significa, ou qual sentido oferta à existência humana.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.


 Google Acadêmico


ISSN: 2675-7176

Instituto Federal de Goiás - IFG